segunda-feira, 14 de abril de 2014

"Você tem a sua religião e não abrirá mão do direito de professá-la fielmente.
Evite discutir sobre a religião dos outros.   Religião é ligação do homem com Deus.  É coisa sagrada, portanto.  Cada um tem o direito inalienável de adotar a crença que lhe pareça melhor para a sua tranquilidade interior e ninguém tem o direito de zombar dela, nem questionar.
Respeite sempre a convicção religiosa de seu semelhante.
Esta é a única maneira de exigir que a sua seja respeitada."
(J.S.Nobre)

domingo, 13 de abril de 2014

13 de Abril - Dia Internacional do Beijo



"Beija eu!
Beija eu!
Beija eu, me beija
Deixa
O que seja ser..."

sábado, 12 de abril de 2014

sexta-feira, 11 de abril de 2014


"É fácil amar o outro na mesa de bar, quando o papo é leve, o riso é farto, e o chope é gelado.
É fácil amar o outro nas férias de verão, no churrasco de domingo, nas festas agendadas no calendário do de vez em quando.
Difícil é amar quando o outro desaba. Quando não acredita em mais nada. E entende tudo errado. E paralisa. E se vitimiza. E perde o charme. O prazo. A identidade. A coerência. O rebolado.
Difícil amar quando o outro fica cada vez mais diferente do que habitualmente ele se mostra ou mais parecido com alguém que não aceitamos que ele esteja.
Difícil é permanecer ao seu lado quando parece que todos já foram embora. Quando as cortinas se abrem e ele não vê mais ninguém na plateia. Quando o seu pedido de ajuda, verbalizado ou não, exige que a gente saia do nosso egoísmo, do nosso sossego, da nossa rigidez, do nosso faz-de-conta, para caminhar humanamente ao seu encontro.
Difícil é amar quem não está se amando.
Mas esse talvez seja, sim, o tempo em que o outro mais precisa se sentir amado. Eu não acredito na existência de botões, alavancas, recursos afins, que façam as dores mais abissais desaparecerem, nos tempos mais devastadores, por pura mágica. Mas eu acredito na fé, na vontade essencial de transformação, no gesto aliado à vontade, e, especialmente, no amor que recebemos, nas temporadas difíceis, de quem não desiste da gente."
(Mario Calft Neto)

Não canto para intimidar a noite

Não canto para intimidar a noite
assustar feras imaginárias
canto porque sou a própria canção. Quando a poesia
me borbulha as veias
a voz é um pássaro de fogo
a riscar céus apagados
ouço então ao longe
a textura das palavras ditas
no silêncio contido.
(José Brissos-Linos)

quarta-feira, 9 de abril de 2014

Esse é o Caminho

"Assumir a própria vida, reconhecer o próprio poder, acreditar na própria capacidade, favorece o desenvolvimento da consciência, abre o caminho ao progresso interior.  Juntar a isso o esforço de buscar conhecimento, vivenciar as experiências, procurando o entendimento evitará as ilusões, lhe mostrará a verdade.   Suas escolhas serão objetivas e seus projetos se materializarão.
Não é isso que você quer?"
(Zibia Gasparetto)

terça-feira, 8 de abril de 2014

segunda-feira, 7 de abril de 2014

O dia que nasce

"Você já se deteve em pensar como é importante a reflexão sobre qualquer face da VERDADE, ao primeiro contato com o dia que Deus lhe concede viver ?
Logo ao se levantar, fixe-se numa ideia, digerindo-a intelectualmente, pousando o seu espírito sobre ela, extraindo lições com as quais se prepare para o novo dia de sua luta.
Faça isto habitualmente, todas as manhãs, antes de começar o seu trabalho.
Depois, vá à janela, olhe o dia que nasce para você, olhe a vida ao seu redor, respire fundo e louve a Deus."
(J.S.Nobre)

domingo, 6 de abril de 2014

sábado, 5 de abril de 2014

Porque é preciso sonhar e desejar

"Nem só de pão vive o homem.   Ele vive, principalmente, de seu sonho.  O sonho é o pão da alma.  Nele está embutido o desejo, ou o medo do desejo ou as angústias causadas pelo desejo.  Deseja, também, é preciso.   Discriminar o seu desejo é poder sonhar.  A partir daí, é a principal condição para ter uma vida dentro da dignidade necessária de cada um.
Este é o processo absolutamente individual e solitário.   E "quem sabe sonhavas meu sonho..." é um desejo irrealizável.  A cada um, seu desejo.  A cada um, o seu sonho.  A cada um, sua dignidade de vida.
Além do fato de sermos mortais, esta é talvez a faceta mais trágica da condição humana: a singularidade da experiência.   Posso 'tentar' sentir o que o outro sente a partir do que senti, mas, isso é uma tentativa.  Mesmo no consultório com um cliente que esteja, por exemplo, há muitos anos fazendo análise várias vezes por semana, ou mesmo a mãe dedicada a seu filho várias horas por dia, pode sentir ou sonhar pelo outro.  Pode apoiar, sofrer com o outro, mas, jamais, pelo o outro.
Mas sonhar é preciso.   Nos dois sentidos; é preciso porque é necessário e é preciso porque 'precisa, torna preciso' nosso inconsciente, de forma plástica, artística, às vezes com cores, numa 'produção' plástica fruto de seu EU mais íntimo.   À noite, a cada 90 minutos, e, durante cerca de 20 minutos, temos nossos sonhos, mesmo se não nos lembramos deles.   Além dos que sonhamos acordados...
É difícil viajar a outros planetas.   Mais difícil é 'viajar' para dentro de nós mesmos, porque nos defendemos disso.  Porque queremos e tememos o acesso mais íntimo a nosso desejo e a nosso sonho.  Daí o perigo: pode vir uma adaptação, uma 'administração' para não se sofrer muito, para não se checar, enfim, para não mudar o que está 'constituído'.   E, a consequência, é o empobrecimento da qualidade de vida.  Individual e coletiva.
Esta visão do sonho como produto e nosso próprio inconsciente veio a partir de Freud.   Até aí, era uma 'mensagem do Deus'.   Mas, é uma mensagem e de desconhecimento muito poderoso.  Assim, já havia uma 'intuição':  é uma mensagem que escapa ao nosso mundo, visto como um mundo consciente.  É algo mais forte, mais contundente.  Esta foi uma grande virada para o conhecimento de nosso percurso, de nossa viagem,  "A César o que é de Cesar, a Deus o que é de Deus'.
O sonho é nosso.  Se tivermos uma visão religiosa, podemos ver Deus se servindo do que quiser, até dos sonhos.  Mas, o sonho nosso de cada dia vem do nosso inconsciente.
Mas, se sonhar é preciso, tentar concretizar nossos sonhos é fundamental.   Se nos frustamos além do suportável, abandonamos nossos sonhos ou os substituímos.
O processo de discriminar o sonho da realidade vem com a maturidade.  A criança tem mais dificuldades nisso.
O adulto é o que sonha, sem delirar.  Isto é, sabendo que o sonho é sonho e realidade, realidade.  É a história "treino é treino, jogo é jogo".  Ou, prévia é prévia, eleição é eleição".
Sonhar é ter os pés no chão, é o grande desafio de nossa existência.  Aquele que só tem pés no chão e não sonha, é limitado, pobre, e o que sonha sem ter os pés no chão, delira, enlouquece."
(Marlene Nasser - Doutora em Psicologia)


quinta-feira, 3 de abril de 2014

Marlon Brando


Hoje, Marlon Brando completaria 90 anos.   É considerado um dos maiores e mais influentes atores do século XX e segundo a revista Time, figura na lista das 100 pessoas mais importantes do século. Nossa homenagem a este grande ator.

quarta-feira, 2 de abril de 2014

"Estes sinais acompanharão os que crerem: imporão as mãos e eles ficarão curados.   Jesus Cristo, Filho de Maria, saúde e Senhor do Mundo, assim como te trouxe a Fé, nela também te conserve e te torne bem-aventurado, e queira livrar-te desta enfermidade."   
(São Vicente Ferrer)
"Acima das nuvens  o céu é sempre Azul !"
(Santa Teresinha)

"Hoje é Dia Mundial do Autismo, é um dia de reflexão e para que todos possam continuar a lutar para a existência de mais instituições e mais ajuda as pessoas com autismo ou com algum ente querido com autismo.   Lembrem-se: O autismo não é uma doença."